As Cinco Leis Biológicas

Compartilhe!

“Encontrar os Programas Biológicos Especiais de Natureza foi realmente uma revelação. Somente a vida por ela mesma poderia escrever um drama assim. Sem a morte do meu filho e, subsequentemente, meu próprio caso de câncer, a verdadeira natureza das doenças provavelmente não teria sido descoberta por muitas décadas, porque a medicina convencional vem se afastando do segredo”.

– Dr. Hamer

Primeira Lei Biológica

Primeiro Critério

Todo Programa Biológico Especial e Significante da Natureza (SBS) tem sua origem a partir de um DHS (Dirk Hamer Syndrome), que é um evento traumático, um choque conflituoso grave, altamente agudo e dramático, o qual ocorre simultaneamente em três níveis: PSIQUE – CÉREBRO – ORGÃO.

O DHS pode ser acionado, por exemplo, pela perda inesperada de um ente querido, uma separação imprevista, um diagnóstico ou prognóstico para os quais não se está preparado, um pânico da morte súbita, uma raiva ou preocupação inesperada, uma repentina sensação de abandono, um medo, algo inesperado ou ameaçador.

O choque conflituoso imediatamente interrompe as funções biológicas normais do organismo. A fim de lidar com o acontecimento inesperado, o cérebro ativa o programa biológico especial da natureza (SBS), criado exatamente para lidar com esta situação em particular. O momento em que o DHS ocorre, todo o organismo está envolvido.

No nível psíquico: Psicologicamente nós experimentamos o estresse emocional e mental.

Nível cerebral: No momento da DHS, o choque conflituoso atinge uma área específica no cérebro causando uma lesão que é claramente visível em uma tomografia computadorizada do cérebro como um conjunto de anéis concêntricos (imagem que se assemelha a um alvo). Tal lesão anelada é chamada de Foco de Hamer.

focohamer

Antes do Dr. Hamer identificar essas lesões aneladas (com formato de alvo) no cérebro, radiologistas as consideraram como artefatos criados por uma falha na máquina. Mas a Siemens, fabricante de equipamentos de tomografia computadorizada, certificou que essas lesões não poderiam ser falhas de artefatos porque mesmo quando a tomografia era repetida e tirada de diferentes ângulos, a formação do mesmo anel sempre aparecia no mesmo local.

A localização exata do Foco de Hamer é determinada pela natureza do conflito.

Exemplo: um conflito de separação sempre impacta o córtex sensorial. O tamanho da lesão é determinado pela intensidade e duração do conflito.

Por que conflitos específicos sempre impactam uma área definida no cérebro? No curso da evolução do cérebro, cada área foi programada com um programa de resposta biológica especial permitindo que um organismo possa combater uma situação de emergência inesperada. Poderíamos imaginar uma retransmissão, o cérebro como um aglomerado de células nervosas que são os receptores e transmissores. No momento do choque o cérebro (neurônios) recebem a confirmação do conteúdo do conflito para o qual estão programadas e, em seguida, transmitem um sinal bioquímico para as células do corpo correspondentes. A relação entre o choque de conflito, a área do cérebro e o órgão é sempre muito específica, e não muda.

Nível de órgãos: O órgão pode responder ao choque ou ao conflito com uma multiplicação celular (crescimento do tumor) ou diminuição de células (osteólise, necrose, ulceração) ou ainda com perturbação funcional (câncer, diabetes, paralisia motora, deficiência visual ou auditiva) dependendo de qual camada do cérebro que recebe o choque e do tipo de tecido que está envolvido (endoderma, ectoderma, mesoderma – tecidos de origem embriológica). Para cada tipo de conflito, há um tipo específico de doença e uma área específica no cérebro a partir da qual, os processos são controlados.

p_GL_Brain_Relation

Exceção: Desnutrição, envenenamento, ou lesões que podem resultar em disfunção de órgãos (s) – sem DHS!

O Segundo Critério

No momento do DHS, o conflito biológico determina a localização do SBS (programa biológico especial da natureza) no cérebro, como um Foco de Hamer e a localização no órgão correspondente, como doença.

O conteúdo dos conflitos é determinado no momento em que o choque conflituoso ocorre. No momento exato do incidente, o nosso subconsciente associado ao evento e a certos temas de conflitos biológicos tais como medo da fome, território ou morte (nosso sentimento subjetivo por trás do conflito) determina qual parte do cérebro receberá o choque de conflito e, conseqüentemente, qual o órgão ou tecido será afetado. O que uma pessoa experimenta como um conflito de separação pode ser experimentado de forma bastante diferente por outra pessoa. Para uma terceira pessoa, o evento poderia ser totalmente irrelevante. Além disso, um único DHS pode impactar mais de uma área do cérebro, resultando em várias manifestações de doenças correspondendo a lesões nas partes do cérebro correlacionadas.

Exemplo: se um homem perde inesperadamente o seu negócio e o banco assume todos os seus bens, ele pode desenvolver angina de peito (como resultado de um conflito de perda de território), câncer de fígado (como resultado de um conflito de fome) e câncer nos ossos (como um resultado de um conflito de autodesvalorização), tudo ao mesmo tempo.

Conflitos biológicos diferem muito de questões psicológicas ou de situações de estresse diário. Problemas psicológicos para os quais temos tempo para nos preparar (mesmo que apenas alguns segundos) não deixam uma marca no cérebro e, consequentemente, não causam doença. No entanto, certo problema psicológico pode predispor uma pessoa a ser mais suscetível a um determinado tipo de choque de conflito.

O Terceiro Critério

O desenvolvimento do Programa Biológico Especial da Natureza (SBS) durante todo seu percurso desde o momento do choque conflituoso (DHS), passando pela fase de cicatrização, até o seu retorno à normalização, sempre é executado de forma síncrona nos três níveis: psique – cérebro – órgão.

Com o avanço do conflito, temos a lesão no cérebro e a alteração no órgão. Assim que houver estagnação em um destes níveis, o desenvolvimento nos outros dois níveis será retardado também.

A Lateralidade

Desde que o cérebro desempenha um papel decisivo na avaliação de cada situação, a lateralidade deve sempre ser considerada. Nossa polaridade determina em qual lado do cérebro o conflito impacta e qual o lado do corpo que será afetado. Na terapia da Nova Medicina Germânica, a determinação da lateralidade do paciente é, portanto, de muita importância. Male and Female LogicA pessoa destra responde a um conflito em relação a sua mãe ou seu filho (a) com o lado esquerdo do corpo e um conflito com um parceiro ou qualquer pessoa, exceto a mãe ou filhos com o lado direito. Com os canhotos é invertido. Exemplo: Se uma mulher destra repentinamente se preocupa com a saúde de seu filho, seu seio esquerdo será afetado. Em uma tomografia cerebral, a lesão correspondente (o Foco de Hamer) será encontrada no hemisfério direito, na parte do cérebro que controla o tecido mamário glandular da mama esquerda. Há sempre uma correlação de cruzamento do cérebro para o órgão.

Esta regra só se aplica ao cerebelo e ao cérebro (diagrama). No tronco cerebral, a parte mais antiga do cérebro, a lateralidade é insignificante.

A destreza manual pode ser facilmente estabelecida pelo teste de bater palmas: a mão que fica espontaneamente por cima, é a mão da lateralidade dominante e revela se a pessoa é destra ou canhota.

Segunda Lei Biológica

Lei da Evolução Bifásica das Doenças

Cada Programa Biológico Especial e Significante da Natureza (SBS), é executado em duas fases, desde que haja uma resolução do conflito.

Fase de Conflito Ativo (ca-fase)

NORMOTONIA é o estado normal do nosso ritmo dia-noite. Como mostrado na figura acima, “simpaticotonia” (dia) alterna com “vagotonia” (noite). Os termos se relacionam com o nosso sistema nervoso autônomo (SNA) que controla as funções vegetativas, tais como o nosso batimento cardíaco ou a digestão. Durante o dia, nosso organismo está em um tônus de ação, simpaticotônico (“lutar ou fugir”) e durante o sono em um tônus de descanso, vagotônico (“descansar e digerir”).

A partir do DHS dá-se inicio a fase ativa do conflito e o indivíduo passa para um estado prolongado de simpaticotonia, o organismo todo está ligado sob o comando do sistema nervoso simpático e pode apresentar os seguintes sintomas: perda de apetite, insônia, fadiga, perda de peso, pensamentos fixos (remoer pensamentos) e mãos frias.

fases

Suspensão de Conflitos

Se não formos capazes de resolver o conflito ou se uma solução factível não pode ser alcançada, não podemos deixar o nosso local de trabalho ou os nossos relacionamentos infelizes, temos a chance de conscientemente diminuir o grau do conflito, quer intelectualmente, psicologicamente ou espiritualmente. Através da diminuição do grau do conflito, conseguimos diminuir a intensidade do conflito e, consequentemente, os sintomas, tanto no cérebro como no nível do órgão. Podemos conviver com tal conflito reduzido até uma idade avançada, como por exemplo, um tumor no cólon, desde que ele não cause qualquer obstrução mecânica e se nenhum órgão produtor de hormônio, como a tireóide, estiver envolvido. Mas temos que ter em mente que transformar um conflito em um conflito suspenso só pode representar uma alternativa secundária porque a cura só pode ser definitiva quando o conflito é completamente resolvido.

O foco da terapia da Nova Medicina, ou da Leitura Biológica é identificar a origem do DHS (choque conflituoso) e encontrar uma solução para o conflito tão real e tão prática quanto possível. Por exemplo, um homem que perdeu seu negócio e sofre uma perda territorial deve encontrar uma nova ocupação, o choque de uma aposentadoria precoce e inesperada pode ser resolvido através da criação de uma nova atividade, como se associar a um clube ou assumir um hobby negligenciado. Assim que o conflito seja resolvido, a cura segue seu curso natural.

CL – Conflictólise – é o ponto de virada e de resolução do conflito. A conflictólise marca o término da fase ativa e o início da fase de reparo (cicatrização). Como na fase de conflito ativa, o progresso na fase de cicatrização ocorre também de forma síncrona nos três níveis.

Fase de Reparo ou Cicatrização – Fase PCL (Pós-Conflictólise)

Nível psíquico: A resolução do conflito vem com um sentimento de grande alívio.

Nível vegetativo: o tônus vegetativo instantaneamente muda para a prolongada vagotonia (uma extensão do ritmo noturno). Fadiga, fraqueza e um bom apetite são sintomas típicos. A fase de cicatrização é também chamada de fase de calor, porque durante a vagotonia os vasos sanguíneos são dilatados resultando em mãos quentes, inflamações e possível febre. Do ponto de vista biológico, o prolongado tônus de descanso, caracterizado por fadiga e bom apetite, auxilia o processo de reparação e restauração da saúde.

Nível cerebral: Em paralelo com a psique e com o órgão, a lesão do cérebro também começa a cicatrizar. Durante a primeira parte da fase de cicatrização (fase pcl) a água e licor são atraídos para a área lesada criando um edema cerebral para proteger o tecido cerebral durante o processo de reparação. É este inchaço (edema cerebral) que causa os sintomas típicos de reparo cerebral com dores de cabeça, tonturas ou visão dupla (diplopia). Em uma tomografia do cérebro, o foco de Hamer (os anéis concêntricos da lesão em forma de alvo) que submerge no edema, aparece agora na fase de resolução com uma aparência diferente, como uma mancha borrada indistinta e escura.

A fase de reparo pode ser dividida em três etapas: a primeira é chamada de Exsudativa ou Inflamatória, a segunda de Crise Epileptóide ou Releitura do Conflito e a última de Cicatricial.

Devido à evolução sincrônica cerebral e orgânica, os focos de Hamer entram em edema (inchaço) na fase exsudativa, e para frear esta situação, a qual poderia levar a um edema brutal, a crise epileptóide cria uma hiper ativação do sistema simpático. Neste momento, ocorre um aumento dos sintomas da fase ativa. Esta releitura do conflito ocorre essencialmente à noite, entre as 23 e as 3 horas e pode ser de todas as intensidades possíveis. O fim da crise epileptóide é marcado pela eliminação dos edemas com o aumento da diurese.

Terceira Lei Biológica

O Sistema Ontogenético das Doenças

A Terceira Lei Biológica da Nova Medicina Alemã amarra os resultados das duas primeiras leis no contexto da embriologia e da evolução do homem. Ela ilustra a correlação biológica entre a psique, o cérebro e os órgãos de um ponto de vista evolutivo. Os folhetos embriológicos mantêm a memória dos programas de sobrevivência desenvolvidos pela natureza, desde o aparecimento dos seres vivos. O tecido endodérmico é relacionado a tudo que é vital e está representado no tronco cerebral. O mesoderma antigo é relacionado ao ataque à integridade e está representado no cerebelo. O mesoderma novo é relacionado às desvalorizações e impotências e está representado na substância branca e o ectoderma, tecido relacionado às separações, está representado no córtex cerebral.

Teoria da Metástase

A teoria padrão da medicina sobre a metástase sugere que as células cancerígenas de um tumor primário viajam através da corrente sanguínea ou do sistema linfático para outras partes do corpo, onde causam um crescimento canceroso em um novo local. Teoricamente, esta hipótese implicaria num risco potencial de se contrair um câncer através de uma transfusão sanguínea. A Nova Medicina Alemã não contesta o fato da ocorrência de cânceres secundários e terciários. No entanto, de acordo com as Cinco Leis Biológicas, cânceres secundários e terciários não é o resultado da migração de células cancerosas, mas de um segundo conflito (segundo DHS) ou terceiro, muitas vezes, provocado por um choque de diagnóstico ou prognóstico que põe o indivíduo em pânico total, causando um novo conflito ou até mesmo vários novos conflitos e levando ao câncer adicional. Por exemplo, um choque devido ao diagnóstico de câncer pode desencadear um “conflito de susto de morte”, levando ao desenvolvimento de um câncer de pulmão.

Sabemos também, a partir do estudo histológico, que as células cancerígenas não podem se transformar em outro tipo de célula, pois elas nunca podem cruzar o limiar da camada germinativa ou alterar sua estrutura histológica. As células cancerosas que crescem no cólon e pertencem à endoderme (tecido embriológico que origina as vísceras), dirigido a partir do tronco cerebral, não podem em hipótese alguma se transformar em células ósseas, as quais se originam a partir do mesoderma novo (tecido embriológico que origina os ossos), que é dirigido a partir da parte alta do tronco cerebral e substância branca dos ventrrículos cerebrais. Em outras palavras: o câncer de cólon nunca pode se espalhar para os ossos. No entanto, um paciente com câncer que se sente desvalorizado, porque repentinamente está doente (“eu não valho nada”, “eu sou inútil”), pode sofrer um conflito de autodesvalorização, resultando em câncer ósseo. Se esta autodesvalorização é menos grave, os nódulos linfáticos provavelmente serão afetados. Assim, uma mulher que experimenta um choque de diagnóstico de câncer de mama ou sofre um abalo em sua autoestima depois de uma amputação da mama, frequentemente desenvolve linfoma próximo ao local onde ela tinha o tumor. Graças à Nova Medicina Alemã, agora começamos a entender porque estatisticamente uma mulher com câncer de mama apresenta frequentemente este tipo de câncer secundário.

Quarta Lei Biológica

O Sistema Ontogenético dos Micróbios

A Quarta Lei Biológica da Nova Medicina Alemã aborda o papel dos micróbios no contexto da evolução e em relação às três camadas germinativas (endoderma, ectoderma, mesoderma) das quais nossos órgãos se originam.

Ectoderma –Virus

Mesoderma – Bactérias

Endoderma – Micobactérias, Bactérias e Fungos

tmp9698

O diagrama acima ilustra a classificação dos micróbios em relação à sua idade ontogenética e a sua camada germinativa específica.

Quando nossos órgãos se desenvolveram ao longo da evolução, muitos tipos específicos de micróbios se desenvolveram com eles. O propósito biológico dos bilhões de microorganismos que habitam o nosso corpo é preservar os diferentes tecidos e mantê-los em um estado saudável. Micróbios, tais como fungos e bactérias, são os nossos ajudantes leais indispensável para nossa sobrevivência.

É descoberta do Dr. Hamer que os micróbios se tornam, sem exceção, ativos somente na fase de cicatrização. Na fase de Normotonia, bem como na fase de conflito ativo, eles estão adormecidos e não causam qualquer infecção. Mas, no momento da resolução de conflitos (CL), eles recebem um sinal do cérebro para iniciar o trabalho que lhes foi atribuído. Micróbios ativos são totalmente inofensivos a todos os outros órgãos.

Os micróbios são especializados em relação ao modo e ao estilo de sua atuação.

Quinta Lei Biológica

A quintessência

Toda “doença” deve ser entendida como um Programa Biológico Especial e Significante da Natureza(SBS), criado para resolver um conflito biológico inesperado. O programa biológico tem por sentido inteligente dar mais chance de sobrevivência.

Exemplo: Uma mulher está caminhando com seu filho ao seu lado e seguro pelas suas mãos. De repente, ele chora e corre para a rua e é atropelado por um carro. No momento em que uma mãe vê seu filho ferido, ela sofre, em termos biológicos, um conflito de preocupação mãe-filho e em uma fração de segundos o Programa Biológico Especial para esse conflito particular é acionado. A preocupação mãe-filho no momento do choque de conflito biológico (DHS) sempre impactará a área do cérebro que controla a função das glândulas mamárias. Uma vez que, em termos biológicos, uma prole ferida recupera-se mais rápido quando ela recebe mais leite, a produção extra de leite é imediatamente estimulada pelo aumento do número de células da glândula mamária. Mesmo se a mulher não está amamentando, o evento ainda desencadeia o início desta resposta, uma vez que isso vem sendo feito ao longo de milhões de anos.

Enquanto a mulher está na fase de conflito ativo, por exemplo, porque a criança ainda está no hospital, às células mamárias irão manter-se dividindo e multiplicando, formando o que é comumente chamado de tumor glandular mamário. Se a mulher for destra, o tumor será em seu seio esquerdo, se for canhota o seio afetado será o direito (lateralidade).

Assim que o conflito seja resolvido (digamos, a criança é liberada do hospital), o tumor para de crescer imediatamente. Uma vez que a criança está fora de perigo, não há mais a necessidade de produzir células extras pela glândula mamária. Durante a fase de cura ou cicatrização, as células agora supérfluas serão discriminadas com a ajuda de micobactérias que foram treinados para fazer exatamente isso. Se a fase de reparo não for interrompida, deixando-a completar seu percurso, o tumor será completamente removido com a conclusão do processo de cura.

Sobre a autora:

Dra. Simone Carvalho

Fisioterapeuta Crefito 216935-F

  • Formação Internacional em Microfisioterapia (França)
  • Formação Internacional em Leitura Biológica (Nova Medicina Germânica)
Compartilhe!