Ciência: A música pode curar células doentes

Compartilhe!

“A estrutura se desorganizou de forma extremamente rápida. A voz humana tem algo em sua vibração que a faz mais potente que qualquer instrumento musical: consciência. Pareceu que as células cancerosas não podiam aguentar uma acumulação progressiva de frequências vibratórias. Logo que eu introduzi uma terceira frequência na sequência, as células começaram a desestabilizar-se.” Afirmou Maman

O som é um grande aliado no tratamento de enfermidades. Técnicas com diapasões, címbalos tibetanos, sons binaurais, são reconhecidos como alternativa já bastante antigas para tratar enfermidades, e agora está comprovado o efeito positivo que a música têm sobre as crianças, idosos, e pessoas com quadros psiquiátricos.

Um experimento realizado por dois cientistas franceses, Fabien Maman e Helene Grimal, que consistia em montar uma câmera sobre um microscópio, para observar o efeito da voz humana na estrutura das células. Para este experimento, usaram tanto células saudáveis, como células cancerosas, as quais foram observadas enquanto se tocavam diversos instrumentos e se entoavam escalas musicais de forma ascendente.

Terapia do som: Tratamento baseado no descobrimento de que as células sanguíneas humanas respondem a certas frequências sonoras mudando de forma e cor; e a hipótese de que os glóbulos vermelhos e as células enfermas podem ser curadas ou harmonizadas por meio do som. Esta terapia foi investigada e desenvolvida pelo músico e acupunturista francês Fabien Maman. — Webster’s New Encyclopedic Dictionary 1993

Primeiro foi compositor e intérprete de jazz reconhecido, tornou-se acupunturista e finalmente um investigador sobre o poder curativo do som. Enquanto estava no útero materno, seu pai lhe tocava o piano. Tem remédio para tudo: “A guitarra espanhola tocada com um bom ritmo vai bem para a circulação; a harpa, para dormir; a flauta doce em tons altos, para a concentração e, para estar contente, tambores e guitarras”.

Quais são suas investigações?

Com mais de 20 anos de experiência com pacientes, ele realizou um trabalho de pesquisa com Hélène Grimal, bióloga do centro de investigação da Universidade de Jussieu de Paris. Durante um ano estiveram estudando o efeito do som nas células humanas. Fotografaram as mudanças celulares que se produziram sob a influência do som, de todas as notas, formas musicais.

Obtiveram assim uma série de fotografias de células cancerígenas, que afetam a matriz celular, ao serem submetidas a dissonâncias, se destruiram.

Tudo é uma  questão de energia

“Sim, a vibração sonora cria um campo de energia. Mas não é algo novo ou estranho. Os nossos celulares funcionam a base de campos de energia. Esses campos se criam através dos satélites. Na França, meu telefone funciona, mas quando vou aos Estados Unidos, não funciona mais, a não ser que eu mude de campo de energia, ou seja, de satélite. Esses campos de energia são invisíveis, são o que chamamos de energia entérica.”

Então, a música nos transforma?

Sim, a vibração da música entra dentro de ti e te transforma assim como faz o Sol. De fato, a distância entre a Terra e qualquer outro planeta desta ou outra galáxia se mede em distâncias harmônicas. A distância harmônica se obtém com um radar que capta a vibração sonora entre por exemplo, a Terra e a Lua. Quando fazemos música com instrumentos acústicos com esta energia viva produzimos harmônicos, e esses harmônicos comunicam-se com todas as frequências e todo o universo.

Finalizando o texto, e como conclusão, podemos dizer que a música, o som, influenciam muito nossa vida cotidiana, o tom da voz, as canções que cantamos frequentemente, podemos melhorar nossa saúde através da musico-terapia que tem ótimos resultados. 

Mas atenção: assim como existem sons que curam, existem sons que adoecem! Palavras que curam, e palavras que adoecem! Observe quais são seus padrões, como você fala com as pessoas, os assuntos, as palavras que usa para se dirigir aos outros. Observe quais músicas você escuta: elas são músicas relaxantes, te induzem a estados de calma e harmonia, ou quais são os padrões de sentimentos que surgem depois de ouvir suas músicas favoritas?

Dica: Selecione suas músicas, selecione as suas palavras para falar com os outros, selecione os assuntos que você se permite ficar por horas conversando. Pode não parecer, mas tudo isso têm uma influência direta sob a forma como percebemos o mundo e interagimos com ele. Faça a experiência!

Fontes: Fabien Maman, Gaynor, tama-do.com, consejosdelconejo.com

 

Sobre a autora:

Dra. Simone Carvalho

Fisioterapeuta Crefito 216935-F

  • Formação Internacional em Microfisioterapia (França)
  • Formação Internacional em Leitura Biológica (Nova Medicina Germânica)
Compartilhe!