Aftas: esse incômodo têm um motivo

Compartilhe!

Aftas bucais ou úlceras aftosa segundo a Nova Medicina

Segundo a medicina convencional, a afta é “uma úlcera aberta e dolorosa na boca, de cor branca ou amarela e rodeada por uma área vermelha e brilhante. As aftas são benignas, não são câncer.”

Sobre as causas, nos dizem que “elas podem ser hereditárias e podem igualmente estar ligadas à problemas com o sistema imune ou de defesa. As úlceras podem ocorrer depois de uma lesão bucal devido a uma limpeza dental agressiva ou um mordisco na lingua ou no interior das bochechas. As aftas podem se desencadear por estresse emocional, deficiências na dieta, em especial de ferro, ácido fólico ou vitamina B12, períodos menstruais, mudanças hormonais, alergias aos alimentos e situações similares. Com muita frequência se forma com infecções virais, e em alguns casos não se pode identificar a causa.”

Segundo os descobrimentos da Nova Medicina, as aftas aparecem na Fase de Cura depois da solução de um conflito biológico de “não poder capturar a presa, um objetivo, um bocado”. Por exemplo: no caso de um bebê ou criança que é obrigado ou forçado a consumir algum alimento que não goste, um bocado que queira “expulsar”. É importante entender que estas situações têm que ser vivenciadas como um conflito biológico. Durante a Fase Ativa se produz uma proliferação celular (adenocarcinoma) de crescimento plano na submucosa da boca, com pouco relevo e que passa despercebido.

Durante a Fase de Cura, que se desencadeia depois da solução do conflito, o adenocarcinoma que cresceu na Fase Ativa é reduzido pela ação de microorganismos especializados, frequentemente fungos (candidíase). Durante esta fase ocorre com frequência, devido a ação microbiana, que a mucosa ectodérmica superficial (que está por cima da submucosa bucal) se destrua também devido a pressão mecânica que a inflamação da submucosa em cura produz na dita mucosa bucal superficial. Isto é o que produz as típicas dores de aftas. Isso é importante, por que a Fase de Cura das aftas, se adiciona uma Fase de Cura da mucosa ectodérmica superficial também, que não foi lesionada por um conflito biológico mas por uma causa mecânica: o processo inflamatório curativo da submucosa bucal.

Na medicina convencional, se estabelece que no geral: “não é necessário um tratamento, pois na maioria dos casos as aftas desaparecem por si só”. A Nova Medicina diz a mesma coisa, com o adendo de saber o motivo porque elas desaparecem sozinhas: por que se trata de uma Fase de Cura de um conflito que quase sempre durou pouco tempo. Quando as aftas não desaparecem ou são crônicas, então sabemos que o paciente recai e resolve continuamente o conflito, por quê sua cura não se completa nunca.

O tratamento consiste em esperar que termine a Fase de cura e propiciar ao paciente que não recaia no conflito. Essa é a terapia causal das aftas. Qualquer outra terapia, o medicamento empregado tem por finalidade eliminar ou atenuar mal estares, dor, desconforto, se trata simplesmente de um tratamento dos sintomas, que pode empregar sempre que se atua também em nível causal.

Esse conhecimento sobre as causas da enfermidade que permite a um praticante competente da Nova Medicina poder propiciar a remissão da enfermidade.

Compartilhe!